22 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
29/08/23 às 15h20 - Atualizado em 29/08/23 às 15h20

RenovaDF abre portas do mercado de trabalho para ex-aprendizes

COMPARTILHAR

O ano de 2021 foi desafiador para Sarina Ferreira. O segundo semestre mal havia começado quando a mulher, hoje com 44 anos, precisou lidar com o rompimento de um relacionamento. Para completar, foi demitida da área administrativa do hospital onde trabalhava, em Brasília. Desanimada com os rumos da própria vida, decidiu que era hora de recomeçar e aprender uma nova profissão.

“Fiquei sabendo do RenovaDF nessa época. Pesquisei sobre a iniciativa, achei a programação das aulas interessante… Decidi me inscrever para a turma que começava em outubro”, recorda Sarina. “Sempre acreditei que cursos profissionalizantes abrem muitas portas. E eu tinha razão. Fiquei apaixonada pela área de construção civil, participei de um processo seletivo do Senai-DF e sou instrutora do programa há mais de um ano”, completa.


Durante os três meses de profissionalização, os participantes recebem um kit de uniforme completo, com camiseta, bota, capa de chuva, garrafa d’água, boné e equipamento de proteção individual | Fotos: Lucio Bernardo Jr./Agência Brasília

O RenovaDF já formou 12 mil aprendizes e está ensinando noções básicas de carpintaria, jardinagem, serralheria e hidráulica para outros 5 mil. Enquanto se qualificam, os alunos recuperam espaços públicos da cidade, como praças, parquinhos, quadras poliesportivas, campos sintéticos de futebol e vilas olímpicas. O curso é ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai).

Durante os três meses de profissionalização, os participantes recebem um kit de uniforme completo, com camiseta, bota, capa de chuva, garrafa d’água, boné e equipamento de proteção individual. O programa também fornece lanche e bolsa no valor de um salário mínimo, além de auxílio transporte e seguro contra acidentes pessoais.

Ajuda na busca por emprego

Fiscal da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda do Distrito Federal (Sedet-DF), Cintia Freitas afirma que dos 106 professores do RenovaDF, 27 são ex-aprendizes do programa. “Aqueles que mais se destacam durante o curso são convidados para participar do processo seletivo quando há necessidade de aumentar o quadro de instrutores”, explica.


Sarina Ferreira, ex-aprendiz e instrutora do RenovaDF: “Sempre acreditei que cursos profissionalizantes abrem muitas portas”

Ainda que se tornar um professor do RenovaDF seja uma opção para os alunos, existem muitos outros caminhos que podem ser trilhados por quem passou pelo programa. “Depois de formados, as agências do trabalhador encaminham os interessados ao mercado de trabalho”, informa Cintia. “Temos também uma parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil, que procura contratar formandos do projeto”.

O ex-aprendiz do RenovaDF Alexander Jose Lopes, 30 anos, não precisou de ajuda para conseguir bons trabalhos depois do curso. Serralheiro há 10 anos, ele viu a ampliação dos seus conhecimentos se tornar um grande atrativo no mercado. E passou a ser chamado para fazer serviços de pintura e manutenção de alambrados.

“A quantidade de trabalhos que eu pego aumentou muito depois do RenovaDF. Eu diria que foi um crescimento de 70%”, calcula. “Eu já tinha bastante experiência com serralheria, fazendo portões e calhas. Mas era só isso. Tive um ótimo professor, que me ensinou tudo sobre pintura e até o básico da parte elétrica. E, atualmente, estou contratando outros profissionais para trabalharem comigo, para dar conta dos serviços”, completa.

Inúmeras possibilidades

Apesar de ser um curso profissionalizante voltado para setores da construção civil, o RenovaDF também tem ex-alunos que seguiram outros caminhos. É o caso de Eliezer Pereira, 33 anos. “Quando fui chamado para participar do programa, eu morava em uma casa de acolhimento há dois anos. Costumava trabalhar com marketing, mas uma forte crise de depressão me levou para as ruas. E não conseguia me reerguer”, conta.

Com o primeiro auxílio do RenovaDF, Eliezer alugou uma kitnet e comprou um notebook. “Sempre quis escrever um livro contando minha história de vida. Então, usei parte do dinheiro para comprar um computador bem simples”, relembra. “No segundo mês de curso, eu já tinha recuperado minha dignidade. Melhorei o meu pequeno apartamento com a bolsa que recebi e comecei a planejar minha vida profissional”.

O final do curso marcou a volta de Eliezer ao marketing, fazendo trabalhos para pequenas empresas do DF. “Conquistei amor próprio, terminei de escrever meu livro e estou me preparando para lançá-lo”, comemora o atual morador de São Sebastião. “Sou só gratidão a essa oportunidade que eu tive”, conclui.

Mapa do site Dúvidas frequentes