18 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
20/02/23 às 16h58 - Atualizado em 21/02/23 às 9h05

Campanha do GDF combate o vandalismo do transporte público

COMPARTILHAR

“Um veículo só te leva a algum lugar se estiver inteiro… Neste Carnaval, ajude a combater o vandalismo. Denuncie!”. É o que diz a peça publicitária das redes sociais do Governo do Distrito Federal (GDF) alertando contra a depredação do patrimônio público durante o período da folia momesca.

O conteúdo faz parte do trabalho de conscientização promovido pelo GDF no retorno da festa popular intitulada Carnaval da Paz. O combate ao vandalismo do transporte público – ônibus e trens do metrô – é um dos vários temas que serão explorados na campanha a ser veiculada até o dia 22 deste mês nas mídias digitais do governo.

“Por uma orientação do Ministério Público [do Distrito Federal], vamos divulgar amplamente alguns temas na campanha de Carnaval. Um desses assuntos é a questão do vandalismo do transporte público, porque as pessoas bebem, acabam perdendo o controle e vandalizam os trens do metrôs e os ônibus”, define a coordenadora de redes sociais do GDF, Lorena Oliveira.

Até o fim do Carnaval, serão veiculados mais conteúdos sobre a temática, distribuídos organicamente e por impulsionamento para pessoas com o perfil de curtir a folia, principalmente, o público mais jovem.

“Vamos ter outras publicações nesse sentido para alertar as pessoas que não destruam os veículos e que denunciem os casos. Vamos desdobrar esse assunto para mostrar que isso não pode ser feito”, complementa a coordenadora.

Um dos conteúdos será em parceria com a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), que também tem ações previstas para a própria rede social e para veiculação nos painéis dos coletivos e dos trens, que incluem o combate ao assédio e à importunação sexual.

“A secretaria aumenta o efetivo de transporte para atender os foliões na saída dos blocos. Alguns fazem uma mistura de bebida alcoólica, ficam mais alegres e criam distúrbios”, analisa o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro.

“Estamos fazendo um trabalho de conscientização e pedindo reforço da Polícia Militar nos pontos que a gente sabe que geram maior aglomeração para evitar a depredação e o vandalismo, para que todos cheguem em casa com segurança”, adianta. O secretário faz um alerta à população: “Quando um ônibus é quebrado, é menos um para atender no dia seguinte”.

 

 

Casos de depredação

Entre 2019 e 2020, a Semob registrou 75 coletivos danificados durante os quatro dias de Carnaval. Entre as ocorrências mais comuns, est]ap janelas arrancadas, vidros quebrados e tetos depredados.

Em relação ao metrô, no mesmo período, foram identificados 33 trens com algum tipo de vandalismo. Os principais foram danos às janelas, portas, botões de emergência, extintores e luminárias, além de pichações.

Os fatos resultaram na retirada dos veículos de circulação para execução de reparos, o que impacta a oferta para a população.

Nos anos de 2021 e 2022, como não houve Carnaval no Distrito Federal devido às medidas de combate à covid-19, não ocorreu registro de casos semelhantes.

Destruir, inutilizar ou deteriorar patrimônio da União, de Estado, do Distrito Federal, de município, de autarquia, fundação pública, empresa pública, sociedade de economia mista ou empresa concessionária de serviço público é crime previsto no Artigo 163 do Código Penal Brasileiro. A pena vai de multa a detenção de um mês a três anos dependendo da tipificação do dano.

Denúncias de casos de vandalismo podem ser feitas pelos canais de Ouvidoria do GDF pelo telefone 162 ou pelo disque denúncia da Polícia Militar – 190.

Mapa do site Dúvidas frequentes