06 de dezembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
4/11/22 às 17h23 - Atualizado em 4/11/22 às 17h23

R$ 183 milhões investidos para a construção de 530 km de calçadas

COMPARTILHAR

Elas possibilitam que os cidadãos possam ir e vir com liberdade, autonomia e segurança. No reforço à garantia desse direito previsto na Constituição, o Governo do Distrito Federal (GDF) investiu, entre janeiro de 2019 e novembro de 2022, R$ 183 milhões na construção de calçadas públicas por meio de obras da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), da Secretaria de Obras e das administrações regionais.

Cerca de oito mil empregos foram gerados nas obras de construção de calçadas no DF | Fotos: Paulo H Carvalho/Agência Brasília

“Esse é um programa continuado para atender a comunidade. As demandas são grandes e os pedidos constantes. Pretendemos fazer 1,5 mil km nos próximos cinco anos”André Vaz, diretor de Urbanização da Novacap

Em aproximadamente quatro anos, foram feitos cerca de 530 km de passeios, atendendo a pedestres das 33 regiões administrativas. Essa extensão representa aproximadamente, em linha reta, a distância de Brasília a Uberaba (MG), que é de 525,7 km.

A Novacap foi responsável pela maior parte do trabalho. Ao total, foram 304 km de calçadas construídas em 23 regiões administrativas, ao custo de R$ 108 milhões. “Depois do asfalto, calçada é o item mais pedido aqui dentro da Novacap. A gente observou essa necessidade e o governo, de 2019 para cá, já executou os mais de 300 quilômetros de calçada”, afirma o diretor de Urbanização da Novacap, André Vaz.

Já a Secretaria de Obras respondeu por mais 209 km em dez localidades específicas, com investimentos de quase R$ 75 milhões. Os demais quilômetros foram construídos pelas administrações regionais. Cerca de oito mil empregos foram gerados nas obras.

Demanda constante

As regiões que receberam o maior volume de calçadas foram Plano Piloto (167,4 km, incluindo as obras da W3 Sul e das quadras 700); Vicente Pires (135 km); Águas Claras (27,7 km); Taguatinga (16 km); Recanto das Emas (14,8 km); Lago Sul (13,9 km); Samambaia (11,7 km); Brazlândia (11,1 km); Gama (10,3 km); e Ceilândia (10 km).

Anne Rossignoli, moradora das quadras 700 da Asa Sul, diz: “Essa reforma é essencial. A W3 estava super decadente, com muitos buracos nas calçadas”

A auxiliar administrativo Anne Rossignoli, 42 anos, é moradora há 35 anos das quadras 700 da Asa Sul. Ela diz que a comunidade aguardava a reforma das calçadas há bastante tempo. “Essa reforma é essencial. A W3 estava super decadente, com muitos buracos nas calçadas. Que bom que chegou a melhoria”, afirma. A mulher que costuma andar bastante a pé já sente a benfeitoria.

A expectativa é de que no próximo ano o trabalho se intensifique. A Novacap espera executar em 2023 o programa contínuo de reforma, manutenção e implantação de calçadas e rotas acessíveis lançado neste ano. O edital está em fase de análise das propostas ganhadoras.

O contrato prevê o investimento de R$ 53 milhões por ano para o serviço que será feito por oito empresas divididas em oito lotes, que representam todas as regiões administrativas do DF. O contrato tem duração de cinco anos e os recursos podem ter origem do próprio governo e de emendas parlamentares.

“Esse é um programa continuado para atender a comunidade. As demandas são grandes e os pedidos constantes. Pretendemos fazer 1,5 mil km nos próximos cinco anos”, explica André Vaz.

Qualidade do passeio

“Melhoramos também o bordo das calçadas. Na maioria delas estamos colocando meio-fio cordão de um lado e do outro, o que ajuda para que a calçada não ceda, já que os canteiros também têm trânsito de veículos para poda, roçagem e serviços de telefonia e elétrica”André Vaz, diretor de Urbanização da Novacap

Além de ampliar os quilômetros de novas calçadas, o GDF tem investido na melhoria do processo de implantação dos passeios. A primeira novidade é a questão da acessibilidade com a inclusão de rampas dentro das normas. A outra mudança foi a melhoria no acabamento. Antes feito de forma manual, o processo agora conta com equipamento mecânico.

“Melhoramos também o bordo das calçadas. Na maioria delas estamos colocando meio-fio cordão de um lado e do outro, o que ajuda para que a calçada não ceda, já que os canteiros também têm trânsito de veículos para poda, roçagem e serviços de telefonia e elétrica. Isso tem feito com que dure mais e evitado grandes problemas, como fissuras”, acrescenta o diretor de Urbanização da Novacap.

Mais uma alteração no serviço está ligada à preparação do terreno. Uma camada de brita tem sido colocada antes do concreto, que também ganhou mais espessura. No caso de passeio com trânsito para serviços de iluminação elétrica, a Novacap inclui uma malha de aço no concreto, o que dá durabilidade à calçada.

Fonte: Agência Brasília

Mapa do site Dúvidas frequentes