01 de dezembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
12/04/22 às 15h35 - Atualizado em 12/04/22 às 15h35

Projeto Sorria, Brasília brinda 62 anos da capital

COMPARTILHAR

Com 17 equipamentos culturais interligados por um leque simultâneo de atividades artísticas, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) celebra os 62 anos de Brasília, após dois anos de interrupção das comemorações presenciais por conta da covid-19.

Batizado de Sorria, Brasília, o projeto comemorativo envolve amplo calendário de ações entre os dias 19 e 24 de abril. Serão realizados de shows a mostras de cinema; de exposições a feiras de economia criativa; de espetáculos populares a apresentações de orquestras, como a Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (OSTNCS).

“Com os museus e centros culturais de portas abertas com entrada franca, o GDF celebra democraticamente nosso conjunto de patrimônios culturais preservados e em pleno funcionamento”, aponta o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues. Confira o vídeo de apresentação da programação de aniversário dos 62 anos de Brasília:

As atrações ocupam as regiões administrativas do Plano Piloto, Ceilândia, Samambaia, Núcleo Bandeirante, Gama e Planaltina, territórios onde ficam os equipamentos culturais do Governo do Distrito Federal (GDF). A OSTNCS, por exemplo, vai circular entre abril e maio com o projeto Clássicos nas Cidades, que estará nos Complexos Culturais de Samambaia, Planaltina e Casa do Cantador, em Ceilândia.

Eventos vão desde shows a mostras de cinema; exposições a feiras de economia criativa; espetáculos populares a apresentações de orquestras

“Essa volta às comemorações presenciais é um apontamento de esperança para que a sociedade restabeleça o convívio seguro com as celebrações públicas. Optamos por modelo mais intimista, com a maioria das atividades dentro dos equipamentos culturais e um convívio externo sem grandes aglomerações”, destaca o secretário.

Com investimento de cerca de R$ 700 mil, as atividades propõem a quebra da lógica de uma festividade só com o foco no entretenimento e exaltam a preocupação do GDF com a memória cultural por meio de exposições que colocam em dinâmica aspectos históricos. Exemplos disso são a reabertura da mostra “Poeira, Lona e Concreto”, totalmente restaurada e higienizada, que retrata os primeiros tempos da construção da cidade, no Museu Vivo da Memória Candanga, e desenhos inéditos de Oscar Niemeyer, no espaço homônimo, além da valorização da história da Via Sacra de Planaltina no Complexo Cultural da região administrativa.

A mostra “Poeira, Lona e Concreto”, totalmente restaurada e higienizada, retrata os primeiros tempos da construção da cidade, no Museu Vivo da Memória Candanga | Foto: Ascom/Secec

Outro destaque é a ocupação externa do Eixo Cultural Ibero-americano, antigo espaço Funarte de Brasília, que terá uma programação de 21 a 24 de abril voltada ao encontro das famílias e de amigos em torno do seu gramado e galerias com piquenique, Festival de Orquestras Populares, Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, shows e desenhaço. Essa programação reforça o ano Brasília Capital Ibero-americana das Culturas, título mundial outorgado em 2022 à cidade.

As ações também são intensas na Concha Acústica, com shows e mostra de cinema, no Museu de Arte de Brasília (MAB), no Memorial dos Povos Indígenas, com festividade no Dia do Índio, em 19 de abril. O Cine Brasília segue a programação especial e aberta ao público com seleção de filmes emblemáticos e espetáculo comemorativo da Cia. de Comédia Os Melhores do Mundo.

Editais

O primeiro bloco de editais do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) vai garantir R$ 36 milhões para, ao menos, 300 projetos de 22 linguagens artísticas. Traz como ênfase o segmento Meu Primeiro FAC para agentes não contemplados anteriormente e entidades carnavalescas.

O edital será publicado em conjunto com dois chamamentos públicos para ações em arte urbana. O primeiro certame é para pintar as 28 paradas da W3 Norte, com cota para equidade de gênero e artista com deficiência. Serão selecionados 28 artistas com cachê de R$ 3 mil.

O outro chamamento é para selecionar coletivo para intervenção artística no muro principal do Complexo Cultural Samambaia. Juntos, têm aporte de quase R$ 100 mil.

No Complexo Cultural de Planaltina, a História da Via Sacra poderá ser conferida no Complexo Cultural da região administrativa | Foto: Ascom/Secec

Via Sacra retomada

Às vésperas da semana do aniversário de Brasília, no dia 15, às 15h, a Via Sacra ao Vivo de Planaltina volta a ocupar o Morro da Capelinha com a encenação dos julgamentos e crucificação de Jesus Cristo. O fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa na ordem de R$ 800 mil garante o evento que completa 50 anos em 2023.

A encenação da Paixão de Cristo no Morro da Capelinha ocorre em formato híbrido, com transmissão ao vivo pelo YouTube do Grupo Via Sacra. No local, haverá um telão LED de 10 por 6 metros, que vai passar a teatralização do Domingo de Ramos e da Santa Ceia, a partir das 13h. A expectativa da organização é receber 100 mil pessoas ao longo do dia, além de cinco mil acompanhando o espetáculo de forma remota.

São 15 estações de cena e o momento mais esperado é o da ressureição, ocasião em que, por meio de efeitos especiais, o ator que representa Cristo parece flutuar no ar. A organização reúne 1,4 mil participantes entre elenco principal e figurantes voluntários. Fechando o espetáculo, um show pirotécnico ao som do Aleluia, de Handel.

“Será um momento de exaltação à fé e de renovar esperança na volta à normalidade. Nossas tradições religiosas e culturais permaneceram inabaláveis e agora voltam com toda a energia, criando um clima de grande expectativa no segmento da economia criativa”, enfatiza Rodrigues.

Confira a programação:

SORRIA, BRASÍLIA

PLANO PILOTO

BIBLIOTECA NACIONAL DE BRASÍLIA – Mostra “Poema em Cartaz”, 19/4, às 11h; contação de histórias do espaço infantil e inauguração de grafite “Livro da Rua”, no dia 23/4, às 10h.

CINE BRASÍLIA – Maratona de seis filmes emblemáticos (em curadoria) em sessões gratuitas no dia 22/4 em comemoração aos 62 anos do equipamento, nas sessões de 10h, 12h, 14h, 16h, 18h e 20h. No dia 21/4, tem espetáculo comemorativo da Cia. de Comédia Os Melhores do Mundo.

CONCHA ACÚSTICA – Atividades diversas com exibição de filmes diversos. Shows, exposição digital de fotografias, entre os dias 21 e 24 de abril.

EIXO CULTURAL IBERO-AMERICANO – Atividades artísticas diversas entre 21 e 24 de abril, com apresentação da OSTNCS (21/4, às 20h); Festival de Orquestras Populares (22 a 24/4, das 18h às 22h), com ações lúdicas no gramado como desenhaço, piquenique cultural e atrações infantis.

ESPAÇO CULTURAL RENATO RUSSO – Reabertura da Gibiteca do Espaço Cultural Renato Russo, na 508 Sul, que será batizada de TT Catalão, 21/4, às 14h.

ESPAÇO LÚCIO COSTA – Exposição permanente “Plano Piloto de Brasília”, projetado pelo urbanista Lúcio Costa. Como uma verdadeira viagem ao tempo, o visitante tem acesso a fotos e informações históricas, além de uma grande maquete da capital federal.

ESPAÇO OSCAR NIEMEYER – “O Mestre e o Aprendiz”. Exposição de objetos e documentos pertencentes a Gervásio de Oliveira, que trabalhou como estagiário para Oscar Niemeyer no planejamento e construção de Brasília. Abertura 22/4, às 17h .

MEMORIAL DOS POVOS INDÍGENAS – Início dia 19/04, às 10h. com festividade em comemoração ao Dia do Índio, com canto da etnia tupinambá chamado “Oração para a Lua”, com a cantora Nívia Tupinambá, seguido por workshop de pintura corporal indígena. Exposição “Artes e Cultura Indígenas” e feira étnica na área externa com shows. Atividades seguem até 24.4.

MUSEU DE ARTE DE BRASÍLIA (MAB) – O Museu que comemora um ano de reabertura terá ciclo de feiras criativas no hall com ênfase em moda, gastronomia. Será lançada a versão virtual do livro do MAB “Arte e Design em Brasília: 1950 a 2022” no site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, no dia 21.4, quando um MAB comemora um ano de reabertura.

MUSEU NACIONAL DA REPÚBLICA – Expositivo Principal: “Xingu 57. Fotografias de Domiciano Pereira de Souza Dias”. Mezanino, ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais’ , de Raquel Nava.

MUSEU DA CIDADE – Exposição permanente, com frases talhadas no mármore branco que contam a história de interiorização da capital federal, desde o século 18 até sua inauguração.

PANTEÃO DA PÁTRIA – “Brasília Museu Aberto”. Exposição digital realizada por meio de projeção mapeada de obras de ícones artísticos da história de Brasília na fachada externa do Panteão da Pátria. Dia: 21/4, das 19h às 22h. Há ainda exposição sobre a vida e trajetória política de Tancredo Neves, além do “Livro de Aço dos Heróis da Pátria”, o “Mural da Liberdade de Athos Bulcão”. O público ainda vai conferir o painel “Inconfidência Mineira”, de João Câmara, e o vitral de Marianne Peretti.

CEILÂNDIA

CASA DO CANTADOR – Festival “Circularte” festival de música brasileira, 23.4, às 19h.

NÚCLEO BANDEIRANTE

MUSEU VIVO DA MEMÓRIA CANDANGA – Reabertura da exposição “Poeira Lona e Concreto” (20.4, às 15h) , após restauro e higienização. Com acervo composto pelas edificações históricas, peças, objetos e fotos da época da construção de Brasília, a exposição permanente narra a história da cidade, desde os projetos até a inauguração em 1960.

GAMA

MUSEU DO CATETINHO – Reabertura, no dia 21.4, às 9h, da primeira residência oficial do presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, durante a construção do novo Distrito Federal. O espaço ficou fechado desde o início da pandemia, em março de 2020, e agora reabre com manutenção de pintura externa e interna, limpeza do forro e troca de peças de madeira da estrutura, eliminação de orifícios no telhado, forro e paredes, revitalização do piso de pilotis, limpeza dos pisos do banheiro, num aporte de R$ 400 mil. A abertura de exposição memorial terá quarteto da OSTNCS. Em seguida, segue a cerimônia de entrega da Medalha de Mérito Cultural “Seu Teodoro”, com apresentação do grupo homônimo.

PLANALTINA

COMPLEXO CULTURAL DE PLANALTINA – Exposição “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”. Mostra fotográfica, figurinos, cartazes e outras peças do acervo. Abertura: dia 20/4, às 20h.

SAMAMBAIA

COMPLEXO CULTURAL SAMAMBAIA – Ação de grafite na fachada (com lançamento do edital de chamamento público dia 20.4) e apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro dentro do projeto “Clássicos nas Cidades” 19/4, às 20h.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

19.4 – TERÇA-FEIRA

Museu da Cidade

9h às 18h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 18h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 18h – Exposição permanente.

Memorial dos Povos Indígenas

10h – Festividade do Dia do índio com canto da etnia tupinambá “Oração para a Lua”, com a cantora Nívia Tupinambá. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas” Indígenas. Feira étnica.

Complexo Cultural Samambaia

20h – Concertos nas Cidades com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro no projeto “Cultura nas Cidades”.

20.4 – QUARTA-FEIRA

Museu da Cidade

9h às 18h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 18h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 18h – Exposição permanente.

Biblioteca Nacional de Brasília

9h às 20h – Poema em Cartaz.

Memorial dos Povos Indígenas

10h – Exposição “Artes para Descobrir as Culturas”. Feira étnica.

Museu Vivo da Memória Candanga

15h – Reabertura da exposição “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Museu de Arte da Brasília

9h – Feiras étnicas, exposições.

Complexo Cultura de Planaltina

20h – Abertura da “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

21.4 – QUINTA-FEIRA

Museu do Catetinho

9h – Reabertura do espaço cultural revitalizado e cerimônia de entrega da Medalha “Seu Teodoro”.

Eixo Cultural Ibero-americano

10h às 18h – Piquenique no gramado.

10h às 17h – Mostra “Niemeyer”, fotografias de Juan Carlos Vega

10h às 12h – Desenhaço e contação de histórias.

12h às 16h – Sambão no gramado.

14h às 20h – Feira criativa.

18h às 20h – OSTNCS.

20h – Ballet dança by Juan Carlos Vega.

Biblioteca Nacional de Brasília

8h às 14h – Poema em Cartaz.

Museu da Cidade

9h às 17h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 17h – Exposição permanente.

19h às 22h- “Brasília Museu Aberto”.

Museu de Arte da Brasília

9h – Exposições.

Museu Vivo da Memória Candanga

9h às 17h – “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Complexo Cultura de Planaltina

9h às 19h – “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

Memorial dos Povos Indígenas

10h às 17h – Feira étnica com shows de Nubia Batista, Eliaquim Camilo, Natasha Barros e Gilberto Cruz. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas”.

Espaço Cultural Renato Russo

14h – Reabertura da Gibiteca TT Catalão.

Concha Acústica

17h – Digão (Raimundos).

Cine Brasília

20h – Especial Os Melhores do Mundo.

22.4 – SEXTA-FEIRA

Eixo Cultural

10h às 18h – Piquenique no gramado.

10h às 17h – Mostra “Niemeyer”, fotografias de Juan Carlos Vega

10h às 12h – Palhaçaria.

14h às 20h – Feira criativa.

18h às 20h – Orquestra Popular do Recife.

20h às 22h – Orquestra Popular Quadrafônica.

Museu da Cidade

9h às 17h – Exposição permanente.

Biblioteca Nacional de Brasília

8h às 20h – Poema em Cartaz.

Espaço Lúcio Costa

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu de Arte da Brasília

9h – Exposições e feiras.

Museu Vivo da Memória Candanga

9h às 17h – “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Complexo Cultura de Planaltina

9h às 19h – “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

Memorial dos Povos Indígenas

10h às 17h – Feira étnica com shows de Mirim Ju Yan Guarani, Ian Wapichana, Gilberto Cruz e Oziel João Filho. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas Indígenas”.

Cine Brasília

10h às 22h – Sessões de mostra de filmes emblemáticos.

Espaço Oscar Niemeyer

17h – Abertura “O Mestre e o Aprendiz”.

Concha Acústica

18h – “As Duas Faces”.

20h – “Protegendo o Inimigo”.

23/4 – SÁBADO

Eixo Cultural Ibero-americano

10h às 18h – Piquenique no gramado.

10h às 17h – Mostra “Niemeyer”, fotografias de Juan Carlos Vega

10h às 12h – Show de mágica.

14h às 20h – Feira criativa.

18h às 20h – Orquestra Popular Salve Glória.

20h às 22h – Orquestra Popular Rockfônica.

Museu da Cidade

9h às 17h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu de Arte da Brasília

9h – Exposições e feiras.

Museu Vivo da Memória Candanga

9h às 17h – “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Complexo Cultura de Planaltina

9h às 19h – “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

Memorial dos Povos Indígenas

10h às 17h – Feira étnica com shows de Kumuu Dan Wapichana, Heloísa Cruz de Araújo, Nívia Costa e Kessia Daline. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas Indígenas.

Biblioteca Nacional de Brasília

8h às 14h – Poema em Cartaz.

11h – Contação de histórias no Espaço Infantil, inauguração do grafite “Livro da Rua”.

Concha Acústica

18h – “Trolls”

20h – “Saída de Mestre”.

24/04 – DOMINGO

Eixo Cultural Ibero-americano

10h às 18h – Piquenique no gramado.

10h às 17h – Mostra “Niemeyer”, fotografias de Juan Carlos Vega

10h às 12h – Percussão para crianças.

14h às 20h – Feira criativa.

16h às 18h – Chorinho no gramado

18h às 20h – Orquestra Alada Trovão da Mata.

20h às 22h – Orquestra Marefreboi.

Biblioteca Nacional de Brasília

8h às 14h – Poema em Cartaz.

Museu da Cidade

9h às 17h – Exposição permanente.

Espaço Lúcio Costa

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu Nacional da República

9h às 18h30 – “Xingu 57″ e ‘Envenenada: profanações e polimorfismo tonais”.

Panteão da Pátria

9h às 17h – Exposição permanente.

Museu de Arte da Brasília

9h – Exposições e feiras.

Museu Vivo da Memória Candanga

9h às 17h – “Poeira Lona e Concreto” com quarteto da OSTNCS.

Complexo Cultura de Planaltina

9h às 19h – “Via Sacra ao Vivo de Planaltina – Rumo aos 50 anos”.

Memorial dos Povos Indígenas

10h às 17h – Feira étnica com shows de Waurá, Ybá Sanenawa, Fernando Gomes e Javier. Exposição “Artes para Descobrir as Culturas Indígenas”.

Concha Acústica

18h – “Como Treinar o Dragão”.

20h – “Cinema Paradiso”.

Agência Brasília* | Edição: Carol Lobo

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec)

Mapa do site Dúvidas frequentes