06 de dezembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
7/02/22 às 14h25 - Atualizado em 7/02/22 às 14h25

Veículos abandonados são retirados no Plano Piloto

COMPARTILHAR
 

“Nosso objetivo é retirar esses carros abandonados que trazem prejuízos para a população devido ao acúmulo de água em seus interiores, além de ser ponto de esconderijo para criminosos, bem como de abrigo para pessoas em situação de rua” Marcelo Batista, coordenador dos conselhos comunitários de segurança

Com o objetivo de aumentar a sensação de segurança e prevenir a população do Distrito Federal de focos do mosquito da dengue, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF) deu continuidade à Operação DF Livre de Carcaças, nesta quinta-feira (3), desta vez no Plano Piloto. Foram retirados oito carros na região. Com a marca, foi alcançado o total de 775 carcaças retiradas das ruas do DF desde o início da iniciativa, em fevereiro de 2020.

“Nosso objetivo é retirar esses carros abandonados que trazem prejuízos para a população devido ao acúmulo de água em seus interiores, além de ser ponto de esconderijo para criminosos, bem como abrigo para pessoas em situação de rua”, aponta o responsável pela ação e coordenador dos conselhos comunitários de segurança (Consegs) da SSP-DF, Marcelo Batista. “Contando com o total apoio da Sala Distrital de Combate ao Aedes, da Secretaria de Saúde, e das forças de segurança do DF, a SSP-DF estará atuando fortemente até conseguirmos limpar a nossa cidade”, afirma Batista.

Sob coordenação da SSP-DF, a DF Livre de Carcaças reúne as secretarias de Cidades, Executiva de Políticas Públicas e DF Legal, Detran-DF, Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) da Secretaria de Saúde, Novacap e Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Juntos, os órgãos garantem saúde e segurança da população do DF.

“Após retirar esses veículos das ruas, eles são levados para o depósito do 3º Distrito Rodoviário, do Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF), onde os agentes de Vigilância Ambiental aplicam soluções na água parada e fazem o controle vetorial”, explica Marcelo, que também atua em trabalho educativo com moradores e comerciantes das proximidades.

Solicitações

Operação prioriza retirada de veículos abandonados que estejam abertos, acumulando água ou lixo | Foto: Divulgação/SSP-DF

Os critérios para o recolhimento do automóvel abandonado são de que os veículos estejam abertos e acumulando água ou lixo no interior da carcaça. Com apoio dos Consegs e das administrações regionais, é feito um mapeamento das regiões e identificação dos veículos. Além disso, a população do DF também pode contribuir com denúncias, por meio do envio de e-mail para conseg@ssp.df.gov.br, descrevendo a situação da carcaça e incluindo fotografias.

As solicitações dos cidadãos também podem ser enviadas via Ouvidoria do Distrito Federal, que são encaminhadas para atendimento pela SSP-DF, como no caso da Operação DF Livre de Carcaças realizada no Plano Piloto. “Recebemos duas solicitações, via Ouvidoria, e conseguimos resolver rapidamente, por meio do trabalho integrado da pasta”, conta o ouvidor da SSP-DF, Alan Blanco Cinnanti, satisfeito com o resultado.

“Após nossa ação, os moradores agradeceram. Em contrapartida, a gente também agradece pelo alerta e zelo deles para com a comunidade. O nosso trabalho só surte efeito porque há uma parceria muito grande das unidades envolvidas”, completou Cinnanti.

Quem também ficou satisfeito com a iniciativa foi o prefeito da 405 Sul, Marco Antônio Farah. “A gente agradece por esse trabalho do Governo do Distrito Federal, que ajuda a retirar veículos e evitar sujeira e acúmulo de água na região, prevenindo riscos à saúde pública e ajudando na própria segurança dos moradores”, agradeceu.

Serviço

A solicitação via Ouvidoria pode ser feita pelo telefone 162, via internet, pelo site https://www.ouv.df.gov.br/#/ ou de forma presencial (na sede de qualquer órgão do GDF).

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Mapa do site Dúvidas frequentes