01 de dezembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
29/11/21 às 15h07 - Atualizado em 29/11/21 às 15h07

Manutenção e trocas de sinalização e placas de endereçamento

COMPARTILHAR

Com o propósito de manter a sinalização das cidades visível e conservada, o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), mantém a renovação das placas de endereçamento nas ruas de Brasília. De agosto a setembro de 2021, foram substituídas pelo menos 266 delas, entre 147 bandeirolas, 49 do tipo S, 26 totens e 44 prismas.

As bandeirolas são aquelas dispostas nas esquinas que indicam o nome da quadra ou mesmo do conjunto, muito comuns no Guará. Já as placas tipo S são as sinalizações verdes, marrons e azuis espalhadas, principalmente, pelo Plano Piloto e nos Lagos Sul e Norte, onde também estão os totens e os prismas – estes em formato triangular, com a indicação da letra de um bloco.

Nesse período de renovação das sinalizações, foram atendidas cerca de 15 regiões administrativas. Superintendente de Operações do DER, Murilo Melo Santos diz que a substituição das placas de endereçamento é um trabalho rotineiro, inclusive com manutenção e limpeza.

Fauzi Nacfur é diretor-geral do DER e ressalta que a atenção do governo na conservação das placas de endereçamento garante ao cidadão o direito de se localizar. “Além de ser um instrumento importante de mobilidade, ajudando as pessoas a se locomoverem e a se situarem pelas cidades”, afirma.

Investimentos

O GDF investe por mês cerca de R$ 52 mil para sinalizar a cidade com novas placas. Anualmente, 4,6 mil novas placas são fabricadas pelo DER, outras 200 restauradas por terem sido acidentadas ou avariadas, 320 reformadas após atos de vandalismo – pichações ou amasso – e 80 revitalizadas por idade avançada.

Mensalmente, pelo menos R$ 20 mil são gastos com a manutenção das placas (investimento com placas recuperadas). As depredações e o vandalismo são alguns dos casos que levam às trocas, demandadas por meio das ouvidorias do órgão, do DER e das administrações regionais.

“Placas caídas ou comprometidas por colisões de veículos têm prioridade na substituição. Tudo para não deixar os cidadãos desinformados na localização dos endereços”, explica Murilo.

Fonte: Agência Brasília

Mapa do site Dúvidas frequentes