22 de abril

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
4/07/19 às 17h35 - Atualizado em 4/07/19 às 17h36

Vistoria técnica no Setor Comercial Sul

COMPARTILHAR

Um grupo formado por servidores das Secretarias de Cultura e Economia Criativa, Turismo e Educação ao lado da Administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro com empresários e integrantes do coletivo No Setor fizeram vistoria técnica no Setor Comercial Sul (SCS), nessa terça-feira, 3/7, com o objetivo de construir, de forma coletiva, projetos para ocupação qualificada do local com iniciativas na área cultural, social e gastronômica.

O coletivo No Setor foi criado com o objetivo de promover eventos e divulgar projetos no Setor Comercial Sul (SCS). Para Caio Dutra, um dos idealizadores do coletivo, que conduziu a vistoria e um tour pelo local, boa parte da sociedade já enxergou o lugar como polo cultural. “A gente precisa entender cada vez mais a importância do Setor Comercial Sul para o desenvolvimento econômico, social e cultural do Distrito Federal”, disse.

A administradora, Ilka Teodoro, acredita que a ocupação qualificada dos espaços com cultura, esporte e lazer contribui para a segurança da comunidade.

Já a subsecretária de Economia Criativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (SECEC) entende “que é uma ótima oportunidade para transversalizar as ações de Economia Criativa com outras pastas do GDF e colaborar com os projetos desenvolvidos no Setor Comercial Sul”.

“Como servidor da educação vejo de forma muito positiva movimentos como esse, para ocupar espaços da cidade, contar a sua história e de seus sujeitos”, disse o professor Rodrigo Suess, que participou da vistoria e do tour. Para Rodrigo, no caso específico do Setor Comercial Sul, a educação pode ajudar no processo de reconstrução de significados, “afastando o medo e a desconfiança e promovendo o encontro e o festejo”, disse.

Ian Viana, do coletivo No Setor, enxerga o SCS “como uma plataforma de identificação e um ponto de encontro de gentes”. Ian disse que uma das ideias é promover visitas com crianças e adolescentes para disseminar “o potencial do lugar e sua importância simbólica no imaginário das pessoas”.

Caio Dutra apresentou os diferentes espaços do SCS e avaliou como positiva a participação do GDF. “É muito importante essa proximidade com o poder público, exatamente para levantarmos os problemas que percebemos e passamos, onde estamos conseguindo causar uma transformação, onde que tem algum obstáculo”, disse.

 

Por Ramíla Moura/ ASCOM da Administração do Plano Piloto

Fotos: Emanuelle Sena/ASCOM – Aministração do Plano Piloto 

 

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros